BEM VINDO

"Deus Desconhecido"

Todos conceituam, mas poucos experimentam. O Deus Real está esquecido e banalizado pela cultura, filosofia e religião, a humanidade O desconhece. As perguntas para a insegurança humana são dadas de maneira superficial, há muita definição e pouca experiência! Ele não é o deus desta cultura ou filosofia, tampouco o Deus dos religiosos. Mas sei que Ele se manifestará novamente acima de conceitos, padrões e definições. Visões serão restauradas e existências impactadas pelo "Deus Desconhecido"

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Ministrando aos homens ou a Deus?


Ministrando aos homens ou a Deus?
As dificuldades que um dirigente de louvor confronta, enquanto está conduzindo o povo na adoração congregacional, são inúmeras. Dentre as mais corriqueiras e mais discutidas entre os líderes e dirigentes, está a excessiva preocupação com a aprovação e agrado dos homens no que diz respeito à sua performance. Na verdade, alguns expõem que a dificuldade está no fato de que nos prendemos demais naquilo que nossos olhos enxergam (o povo, o homem) e esquecemos de adorar “em espírito e em verdade” (ou seja, não dirigimos o louvor a Deus, mas ao povo).

Percebo que muitos dirigentes estão com o coração aflito por causa deste problema. Eles estão com a consciência pesada, pois sabem que durante o culto se esquecem (involuntariamente) daquele que deveria ser o centro de todas as atenções. Alguns já me confessaram totalmente contristados: “Irmão, me ajuda porque eu não consigo me concentrar em Deus, estou muito preocupado com as pessoas!”

Há algum tempo enfrentei este problema. Sentia-me culpado porque media o sucesso da minha direção na resposta, no “feedback” da igreja. Se eu percebia que o louvor estava fluindo e os irmãos estavam cantando conosco com toda a avidez, então concluía que Deus estava “aceitando” a adoração. Se nalgum dia a igreja não estivesse disposta a cantar, então era porque Deus não queria ser louvado, não era dia de louvor, ou seja, os ares espirituais estavam muito tenebrosos (que triste conclusão!).

É um erro pensar que as músicas que agradam as pessoas, são as mesmas músicas que agradam a Deus e são as mesmas que ele quer ouvir no mesmo momento em que as pessoas querem ouvir. Às vezes, pecamos ao pensar que Deus é apenas mais um na platéia, que a opinião de Deus tem o mesmo peso que a opinião do irmão “José”, por exemplo. A voz do povo não é a voz de Deus! O povo é o povo e Deus é Deus!

Muitas vezes já falei coisas durante o culto que desagradaram a homens, mas agradaram a Deus. Por outro lado, já falei palavras e cantei músicas para agradar a homens e acabei desagradando a Deus (e por isso me arrependo profundamente). Alguém poderia perguntar: “Então quer dizer que só tenho que cantar e ministrar palavras que desagradam os homens, para agradar a Deus?”. Naturalmente, não. Haverá momentos que o que Deus quer falar vai agradar aos homens, vai levar o povo à presença dele. E aí haverá a tão desejada fluência no louvor, porque a vontade de Deus vai ser valorizada, vai ter peso. Já foi dito: “Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo.” (Gl. 1.10.)

O que quero trazer à luz neste artigo, é que os dirigentes de louvor devem estar mais preocupados com Deus e sua vontade do que com o que o povo vai pensar ou falar de sua performance. Assim os dirigentes podem ficar mais descansados e em paz, pois fazer a vontade de Deus é infinitamente melhor do que fazer a vontade dos homens. Prefiro ser avaliado e julgado por Deus a homens. Então, meu irmão, descanse em Deus e se preocupe em ministrar a ele. Deus é misericordioso, já o povo não tem piedade (Mc. 15.14). Procure agradar a Deus. Quanto aos homens... bem, prepare-se... algumas vezes haverá críticas, insatisfação, desagrados, julgamentos e condenações. Quanto a Deus... Ele estará sorrindo para você!

“Servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens.” (Ef. 6.7.)

No amor de Cristo,

Ramon Tessmann

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O culto é para Deus!


Louvor e Adoração

“O culto a Deus é o ato mais importante na vida de nós, cristãos, pois fomos feitos para o louvor da sua glória”

Como é triste perceber que o real significado da palavra “culto” se perdeu nos dias de hoje. Muitos vão à Casa do Senhor para encontrar com os amigos, para conversarem durante todo o culto, atrapalhando consideravelmente o pregador. Pessoas que procedem dessa forma, certamente deixam de ser abençoadas. E depois reclamam que Deus não as ouve. Quando, na verdade, são elas que não querem dar ouvidos à voz de Deus. Elas só querem receber as bênçãos, mas não querem adorar ao Senhor das bênçãos.
É freqüente observar pessoas reclamando do culto, da mensagem, observando quem entra e sai do Templo, ou, ainda, reparando a roupa dos outros, comentando e rindo como se estivem em casa. Aliás, estão em casa, só que não é qualquer casa. É a Casa de Deus e deveriam respeitá-la como tal.
Muitos quando não se agradam da ministração do louvor, por exemplo, vão logo se assentando, fazem “cara de poucos amigos”, como se os ministrantes tivessem que tocar somente o que eles gostariam de ouvir. Mas as músicas não são ministradas para nós. O louvor e a adoração são totalmente voltados e dedicados ao nosso Deus. Ao único que é digno de toda honra e glória. Aleluia!
O culto a Deus é o ato mais importante na vida de nós, cristãos, pois fomos feitos para o louvor da sua glória (Ef 1.6). O culto não é um ato humano, mas um ato divino. E isso é a chave para compreendermos a dimensão do culto cristão. A importância de adorar a Deus, de exaltá-lo, de falar com ele, de ouvir a sua doce voz e de, principalmente, termos reverência quando estamos na presença dele. Quando entendermos isso, certamente a nossa atitude será diferente diante de Deus, pois “Deus é Espírito, e importa que seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (João 4.24).
Quem sabe você tem ido à Casa de Deus com tantos objetivos, menos o de adorá-lo. Comece a mudar as suas atitudes. São atitudes simples, mas que fazem a diferença na sua vida espiritual. Quando você pensar em reclamar dos louvores que estão sendo ministrados no decorrer do culto, lembre-se que eles não são para você, mas para Deus. Quando lhe pedirem para aplaudir ao Senhor, aplauda-o com intensidade. Quando for louvá-lo, louve-o com alegria, com vontade. Levante suas mãos, dê brados de louvor a ele. Solte sua voz. Não fique de braços cruzados ou se distraindo com pequenas coisas. Dê o seu melhor para Deus.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Louvor e Adoração

Deus habita nos louvores


Existem inúmeras formas de louvar e adorar a Deus. Cada um busca a sua melhor maneira de estar entoando louvores ao Senhor. Mas também existem aqueles que não fazem nada disso.

O louvor nos traz uma leveza de espírito, pois com ele mergulhamos nas profundezas de Deus e entendemos mais e mais o verdadeiro sentido da adoração. Não estou falando do louvor da igreja, mesmo que esse seja ótimo - maravilhoso; estou falando do seu momento com o Senhor. Você tem um tempo reservado para Deus? É claro que Deus deve estar conosco, em nossos corações, 25 horas por dia, 32 dias por mês... O maior tempo possível!!!! Quero perguntar é se você tem aquele tempo no qual você entra no quarto, e conversa com Deus. Tem?

Amados e amadas, se vocês ainda não tem esse tempo não sabem o que estão perdendo! Nos momentos em que estamos a sós com Deus, temos a maior liberdade de louvar, de adorar, de celebrar e de nos deleitarmos na graça do nosso maravilhoso Pai. E a Bíblia diz que Deus habita nos louvores, eu creio em tudo que está escrito na Bíblia e sei que você também crê.

Então, não perca tempo, desligue seu computador e comece a louvar a Deus!!! Ele está aí com você, do seu lado, apenas esperando para te dar as mãos e ouvir tudo que você tem para dizer a Ele. Louve, cante, dance na presença do Pai. É isso que um Pai espera do filho. É isso que Deus quer de você... Sua vida complemente ligada a dEle.

Louve ao Senhor!

Que Deus te abençoe.



Breno Amaral

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Vivendo o que cantamos

Certo dia eu cantava uma música do Ministério de Louvor Diante do Trono e instantaneamente meu espírito foi incomodado para prestar bastante atenção ao que eu acabara de declarar: “irei contigo, onde quer que fores meu Senhor, o teu chamado cumprirei na alegria ou na dor [..].” * Devido aos modismos muitas vezes, nós cristãos, temos cantado as músicas simplesmente por cantar. Será que você já se sentiu assim? Entramos na onda e sutilmente ignoramos o que proferimos.

Eu passei por isso! Fui confrontada. Eu pensei, será mesmo que eu irei? Passarei pela dor por Jesus? Nossa boca muitas vezes diz coisas que muitas vezes não estamos preparados para viver ou cumprir. Devemos lembrar que Deus vai nos questionar uma hora ou outra, pois se eu disse que estarei a disposição dele, chegará um momento em que ele vai me convocar. Isso é natural. Deus nos ensina e nos dá capacidade para realizar seus feitos, o que precisamos fazer é sempre estarmos convictos do que queremos e do que vamos fazer. Por isso é tão importante que vivamos o que cantamos e cantemos o que vivemos.

Depois desta situação, nunca mais cantei o que eu não me sentia preparada para fazer. Claro, que se tal atitude não era algo que Deus havia me questionado para fazer, caso contrário o melhor é obedecer sem questionar. Vou tentar ilustrar o que estou tentando expor com um exemplo: Se eu não estou preparada para morrer por Cristo, devo eu abrir a boca e falar para ele que eu estou preparada para ir como missionária para um país em que cristãos são perseguidos e mortos? Mas é claro que não. É isso que estou tentando dizer. Se eu falo tenho que cumprir. E isso serve para todas as coisas em nossa vida. Vivendo e aprendendo.

Isso não é uma tarefa fácil. Muitas vezes pecamos justamente naquilo que pregamos, questionamos ou aconselhamos. Além disso, ainda existe a pressão e as dificuldades mediante uma escolha positiva por Deus e sua vontade.

Que possamos abrir nossos lábios justamente para aquilo que estamos preparados para fazer. Se você se sente capacitado para dizer:“Cumprirei tua visão, cumprirei minha missão, morrerei se preciso for, por amor a ti” *, cante, mas cante com convicção.

Devemos lembrar que somos testados no que falamos. E é importante entender que buscar a Deus e fazer a sua vontade é muito valioso e vale a pena. Deus é maravilhoso e cuida de nós.

Portanto, amados irmãos, que possamos ser bons exemplos quando abrirmos os nossos lábios para proferir o que somos e o que prometemos ser ou fazer. Que Deus realmente possa contar conosco todos os dias de nossas vidas. Lembre-se que tudo aquilo que você se sente incapacitado para fazer é Deus quem vai lhe capacitar. E Deus jamais vai lhe exigir algo que você não poderá cumprir.

Tudo vai depender do que estamos dispostos a fazer por Deus!

Que o Senhor os abençoe cada vez mais!

Trechos de músicas utilizadas

Eis-me aqui / Esperança – DT / Ana Paula Valadão Bessa
Minha Paixão / Livre – Ministério Intimidade

::Por Vanessa Freitas

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

FIQUE POR DENTRO

Religião Hoje
Liberdade religiosa em discussão

Brasil (*) - A Visão Nacional para a Consciência Cristã (VINACC) emitiu um apelo à sociedade brasileira contra a aprovação dos projetos PLC 122/06 e PL 6418/2005 em tramitação no Congresso Nacional que combatem a homofobia, pois entende que eles introduzirão a censura e limitarão liberdades individuais e coletivas de manifestação.

“Ao afirmar que toda e qualquer manifestação contrária ao homossexualismo, incluindo aqui sermões e textos bíblicos que se posicionam contra as práticas homossexuais, como se constituíssem crime de homofobia – isto é, violência contra os homossexuais – o projeto está a estabelecer no Brasil o mais terrível tipo de legislação penal, típica de Estados totalitários, os crimes de mera opinião”, justifica a VINACC.

O manifesto da Visão incentiva a coleta de assinaturas para abaixo-assinados a serem remetidos aos poderes constituídos do país, pedindo a não-aprovação desses projetos, uma vez que eles criminalizam “toda e qualquer manifestação contrária ao homossexualismo e às suas práticas, ferem o direito fundamental que cada cidadão tem de, livremente, manifestar-se, expressar-se e opinar sobre qualquer tipo de conduta moral ou tema social”.

Se os projetos não tivessem esse caráter de natureza criminal, a VINACC os apoiaria, pois também ela se declara contrária a todo e qualquer tipo de violência. Mas o manifesto desse organismo enfatiza que a Bíblia "é a única regra de fé em prática, e que o texto sagrado estabelece o homossexualismo como um pecado, assim como o faz com outros tipos de pecado, como a prostituição, o adultério, a inveja, o incesto, a pedofilia, a maledicência, o homicídio, a idolatria..."

Por isso a VINACC conclama os poderes constituídos a se unirem contra esses projetos, uma vez que eles “restringem, de modo absoluto, direitos e garantias fundamentais do ser humano e da sociedade em geral”, além de cercearem o direito constitucional de liberdade de consciência, crença e culto. O texto lembra que todos são iguais perante a lei e pede que “não haja nenhum tipo de discriminação promovida pelo próprio Estado”.


* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.

A Excelência na música


A Excelência

São várias as maneiras pelas quais nós rendemos louvor a Deus. Pode ser por meio de nossas atitudes, pela maneira que tratamos e cuidamos das pessoas, por meio da dança, da música, entre outros. Não importa seu estilo, o importante é que sejamos verdadeiros adoradores, pois somente estes adorarão a Deus em espírito e em verdade. “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (Jo 4.23).

Quero mostrar aqui meus questionamentos do que seja a excelência no que diz respeito a louvar a Deus com a música. Não quero trazer discussões e sim reflexões. Uma vez que não nos cabe julgar, mas sim fazermos a nossa parte.

Excelência segundo o dicionário Michaelis significa: “Qualidade de excelente; Superioridade de qualidade”. Mas será que isso têm sido uma realidade dentro de nossas igrejas?

A música cristã deu uma alavancada de uns tempos para cá. Para mim isto é algo que nasceu no coração do próprio Deus e que por ele tem se tornado algo cada vez mais possível de ser realizado. Hoje em dia há menos preconceito em relação a música evangélica do que há tempos atrás. Isso por que as igrejas têm acreditado e investido muito mais em seus levitas. Não podemos esquecer que é visível que Deus está restaurando as artes para que estas sejam utilizadas para o louvor de sua glória. Hoje as pessoas dançam para Deus, em seus diversos estilos, assim como cantam. Elas usam de seus dons na arte da pintura, esculturas e por aí vai.

Mas voltando para a música, creio esta transformação têm sido altamente positiva. Temos no momento atual diversos estilos musicais, o que torna possível evangelizar e alcançar um maior número de pessoas. Mas isso não quer dizer que devemos nos acomodar. Há muito o que melhorar e fazer. Por isso considero a excelência algo importantíssimo.

É importante ressaltar que a excelência não está ligada somente a busca da perfeição ao tocar os instrumentos ou ao cantar. Ela também está ligada ao relacionamento que temos com Deus.

Um instrumentista, um cantor tem que estudar. Aperfeiçoar a técnica é fundamental pois a qualidade conta e muito. Ou será que o mundo não se preocupa com isso? A gente sabe que a realidade é outra. O mundo tem investido cada vez mais em qualidade e aperfeiçoamento. Não é à toa que seus artistas conseguem levar para seus shows milhões de pessoas. Agora imagine isso revertido par a glória de Deus? Temos que atrair as pessoas para ouvir do amor de Deus e para isso devemos utilizar os dons, meios e as estratégias que Deus nos deu. E é claro da melhor forma possível. Então galera vamos investir! Mãos a obra. Estudem!

Por outro lado, precisamos refletir. Se só a excelência musical contasse, não seriam os grupos evangélicos como qualquer banda do mundo? A nossa diferença está em Deus. Temos o Espírito Santo de Deus em nós. E é dele que as pessoas precisam e admitindo ou não, estão sedentas.

O diferencial está em ao invés de cantarmos nossas próprias canções, cantarmos as músicas que nasceram de Deus. Que foram inspiradas por ele. Por isso, o músico cristão deve buscar também a excelência espiritual. Quanto maior for seu relacionamento com Deus, mais conhecimento do Senhor você poderá doar aos irmãos que receberem suas ministrações. Mais a vontade estará o Espírito Santo para agir no meio do povo. Mais perto das pessoas conseguiremos chegar, pois se Deus é quem planta em nossos corações as mensagem que ele quer passar, as vidas sedentas serão alcançadas com muito mais rapidez. Tudo flui quando deixamos Deus agir e nos entregamos a sua disposição.

Louvar com excelência espiritual e física é importantíssimo para quem deseja fazer um bom trabalho.

Sei que muitas vezes buscar a excelência física é difícil. Enfrentamos problemas financeiros, entre outros, mas não desista. Se não tem como investir no momento, persevere. O importante é correr atrás. Não seja orgulhoso, se não sabe como fazer peça ajuda enquanto não dá para buscar ajuda especializada. Mas é certo que sempre haverá alguém por perto com mais conhecimento que você que poderá lhe auxiliar. No quesito excelência espiritual, pense que Deus está acessível a qualquer hora. Você precisa somente desprender um pouco mais de tempo e qualidade em seu ralacionamento com ele.

Que Deus possa capacitar os levitas desta nova geração mais e mais em sua técnica e em suas vidas espirituais.

fiquem na paz...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Adoração como estilo de vida

Quando falamos em sermos uma geração profética e marcar nossa geração, temos que primeiro falar sobre sermos marcados. De outra forma, nossa mensagem será apenas o resultado de informações que nosso intelecto absorveu.

O apostolo Paulo deixou bem claro que sua mensagem não era baseada na sabedoria humana (I Co 2:4), mas na demonstração do poder de Deus. Será que o apóstolo estava se referindo somente aos milagres que fizera? Eu particularmente creio que não. Creio que ele estava se referindo ao poder da mensagem que transformou sua vida, e de outros. Paulo chama todas as suas tribulações de leve e momentânea, porque ele havia sido marcado pelo Senhor. Nada era tão ruim ou tão difícil que poderia desanimá-lo a conhecer Aquele que o amou incondicionalmente.

Ser marcado por Deus faz parte do Seu plano para cada um de nós. Às vezes as pessoas querem conhecer a vontade de Deus, mas não querem ser marcadas por Ele. Apesar dessa marca ser geralmente feita por um processo de muita provação, a Bíblia nos diz que a vontade de Deus é "boa, perfeita e agradável", e foi o próprio Paulo que nos deixou o seu relato sobre a sua experiência mediante a vontade de Deus (Rom 12:2).

Como disse anteriormente, não existem fórmulas para caminhar com o Senhor, mas existe algo em comum em todos aqueles que são marcados por Deus e que marcam a sua geração: essas pessoas desenvolveram um estilo de vida de adoração. Mas, o eu significa adorar? O que implica isso?

Primeiramente, a palavra adorar , em hebraico, tem o significado de "beijar a face". Vale lembrar que somos tentados a dar "beijos de traição" no Senhor, como Judas o fez, simplesmente por não conhecermos quem estamos adorando. O início de todo esse processo para o nascimento da palavra ADORAR começou em Gênesis, capitulo 12, onde Deus derrama o Seu coração para um homem chamado Abrão. As palavras do Senhor são diretas e claras, "Sai da tua parentela...Eu te abençoarei, te engrandecerei o nome..." Contudo, aquele homem, que é muito parecido conosco, faz exatamente o contrário que o Senhor lhe havia dito, pois levou consigo seu sobrinho, o que lhe trouxe muitos problemas mais tarde, e quando a situação apertou por causa da fome, Abrão se mudou pro Egito "para ali ficar". (Gen 12:10)

Porque a palavra adorar começa aqui nesse contexto? Simples: porque adoração não é o que você canta pra Deus e sim é a resposta do seu coração em conhecê-Lo e obedecê-Lo diariamente. Em um estudo mais detalhado, você poderá notar que quando Deus muda o nome de Abrão para Abraão é porque ele creu no Senhor. Isso foi aproximadamente 24 anos depois da primeira vez que Deus lhe aparecera. A adoração começa a ser real em nossas vidas quando respondemos em obediência ao chamado de Deus.

A palavra adorar é mencionada pela primeira vez na Bíblia nos texto em Gênesis 22:5. Isso nos mostra que o que começou no capítulo 12 agora estava sendo firmado. Vale lembrar que já havia se passado mais ou menos uns 50 anos entre esses capítulos. Isso mesmo. O Senhor teve que ir conquistando o coração de Abraão para levá-lo ao nascimento do que seria a sua verdadeira adoração.

No texto de Gênesis 22:5 não vemos nenhuma música, ou equipe de louvor, ou um culto formal. Vemos um homem sendo profundamente desafiado a obedecer a Deus até as últimas conseqüências. Entregar Isaque como sacrifício foi algo que Senhor teve que gastar anos com Abraão para levá-lo a Moriá. Foi nesse contexto que nasceu a adoração. Não havia musica ou palavras bonitas, mas havia uma pessoa que ousou crer e obedecer a Deus. Chega a ser até engraçado, pois após todo esse tempo que Abraão andou com o Senhor mesmo assim ele diz, "hoje sei que temes a Deus"....

Ser marcado por uma vida de adoração faz parte do processo de marcar sua geração. Você pode marcar sua geração simplesmente obedecendo a Deus. A sua obediência a Deus faz com que a Sua Palavra seja verdadeira na sua vida e isso serve de referência para outros.

Louvor e Adoração

Música do coração

Deus não quer uma bela voz, um belo espetáculo, uma bela apresentação, ou um belo toque instrumental, ele quer ouvir o seu coração...


Quando digo que Deus não se importa com as vozes e a apresentação de um grupo evangélico ou de um ministério de louvor de uma igreja, não quer dizer que não é necessário existir a qualidade vocal e instrumental. É claro que é necessário existir a qualidade ou a musicalidade, porém ela não é o “espírito da coisa”.


A igreja tem que se sentir confortável para que possa, então, se derramar na presença de Deus. Se um guitarrista toca num tom, o tecladista no outro, o baterista nem sabe em que parte da música estão, e os vocalistas gritam para ver qual a voz que sai melhor no retorno, é claro que isso vai gerar um verdadeiro barulho, por melhor que seja a intenção de cada um deles. Então, ministros de louvor, tanto instrumentistas quanto vocalistas, estudem realmente a música e façam o melhor; sejam excelentes no ato de entoar os cânticos a Deus.


Mas como eu já disse, o tocar não é o que importa para Deus. Ele, na realidade, quer saber o que anda “tocando” em seu coração. São as baladas, são as palavras torpes, são os desejos carnais, são as vontades do seu eu, enfim, é seu coração? Ou será que é a Palavra de Deus, a obra de Deus, os anseios do Senhor para seus filhos?


A música que seu coração tem tocado quando não está na igreja, quando está longe dos que cultuam o mesmo Deus que você (que é o único digno de todo louvor e culto) é a mesma que toca perante os cristãos? Essa é a questão principal.


Acima de tudo e todos deve estar o Senhor. Ele deve ser entronizado em sua vida, pois está escrito: Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos. (Salmos 148.2). E, não só eu, mas, também, o Senhor, consideramos você, levita, um soldado do exército de Deus; para tanto, deve agir como um soldado. Sendo fiel, correto, justo e forte (nesse caso em espírito).


A Palavra de Deus é muito clara no que diz respeito àqueles que o adoram apenas com os lábios: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. (Mateus 15.8). Mas também é clara quanto aos que o adoram de todo coração: O que ama a pureza de coração, e é amável de lábios, será amigo do rei. (Provérbios 22.11).


Aí fica a pergunta: Qual o desejo maior do seu coração? Será que é estar longe de Deus ou ser amigo do Rei?


Louve-o de todo seu coração, alma e corpo...

Não Posso Viver sem Ti

video

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Fundamentos Bíblicos

Louvor é ...

1- Qual o significado de louvor?


O louvor no Antigo Testamento é basicamente definido por três palavras:

- Barak (bendizer)

- Yadah (dar graças)

- Balal (aleluia – louvai ao Senhor)


2- A quem então devemos louvar?


. Somente ao Senhor nosso Deus

. Não devemos louvar-nos a nós mesmos (2 Coríntios 10:12)


3- Porque devemos louvar?


. Porque Deus é bom (1 Crônicas 16:34)

. Para exaltar o poder de Deus (Salmo 21:13; Salmo 103:1-5)

. Para que os demônios saiam (1 Samuel 16:22-23)

. Para se fazerem conhecidas as obras de Deus (Salmo 105:1-3)

. Para nos apresentarmos ao Senhor (Salmo 100:4)

. Porque Deus habita nos louvores (Salmo 22:3)


4- O que acontece quando louvamos?


. O inferno estremece e os demônios se abalam (1Samuel 16:22-23)

. Nosso coração se enche de alegria (Salmo 100:1-2)


5- Como devemos louvar?


. Voluntariamente (Juízes 5:2)

. Com instrumentos e cânticos (Salmo 33)

. Com palmas e voz de triunfo (Salmo 47:1)

. Louvai com danças (Salmo 150:4)

. Em Ações de Graças (Salmo 147:7)

. Com sacrifícios, que é o fruto dos lábios que confessam o seu nome (Hebreus 13:15)

. No seu santuário (Salmo 150)

. De todo o meu coração (Salmo 9:1-2)


6- Quando devemos louvar?


. A todo tempo (Salmo 34:1)


7- Quem deve louvar?


. Eu e você (Salmo 71:22)

. Os anjos (Salmo 148:2)

. Os astros celestes (Salmo 148:3)

. Tudo o que vive (Salmo 150:6)

8- E se eu e você não quisermos louvar?
As pedras clamarão em nosso lugar (Lucas 19:36-40)