BEM VINDO

"Deus Desconhecido"

Todos conceituam, mas poucos experimentam. O Deus Real está esquecido e banalizado pela cultura, filosofia e religião, a humanidade O desconhece. As perguntas para a insegurança humana são dadas de maneira superficial, há muita definição e pouca experiência! Ele não é o deus desta cultura ou filosofia, tampouco o Deus dos religiosos. Mas sei que Ele se manifestará novamente acima de conceitos, padrões e definições. Visões serão restauradas e existências impactadas pelo "Deus Desconhecido"

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

SERÁ QUE ISTO É O SUFICIENTE PARA VOCÊ???

video

ADORAR NÃO É ASSIM VAMOS FICAR ATENTOS

video


Por Leonardo G. Silva - Th.M.
.
“Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias dos teus instrumentos”

Amós 5.23
.
A falta de identidade do evangélico brasileiro tem levando a igreja por caminhos perigosos. Cada vez mais a igreja se parece com o mundo, e torna-se difícil discernir entre o ímpio e o crente; entre o que serve a Deus e quem não o serve.

Quando o crente não entende seu lugar na bíblia sagrada, tende a identificar-se com o mundo. É verdade que a “imitação” é uma disposição natural e instintiva comum ao ser humano, e que nós aprendemos por imitação, mas é preciso saber a quem imitar. Os jovens das igrejas cada dia mais estão copiando as roupas, o modo de falar, o corte de cabelo, enfim – o modus vivendi dos cantores e dos astros da "telinha". Acontece que o mundo nunca foi molde para ninguém. Em Romanos 12.1 o apóstolo Paulo nos exorta a não nos conformar com este mundo. A versão Reina-Valera lança mais luz ao texto, traduzindo a passagem por “não os almoldeis”. Tem muito crente igual gelatina, tomando a forma do mundo. Obviamente que eu não pretendo propor nenhum legalismo, falar de usos e costumes de igrejas, mas gente: É preciso ter bom senso!
.
O vídeo acima é uma paródia do “funk do créu”. Esse funk é uma música obscena com forte conotação sexual. Acontece que apareceu um cara que adotou a alcunha de “MC Céu” e gravou uma versão daquela canção horrorosa. Essa música já virou motivo de piada no Youtube, e saiu inclusive no Top Five do programa CQC, da Band. O resultado de tudo isso é que mais uma vez os evangélicos são alvo de zombaria. É o preço que o evangélico brasileiro paga por sua falta de identidade.
.
Um dos fatores que impulsionam a industria desse “lixo gospel” é o pragmatismo, que é uma escola de filosofia surgida nos E.U.A. que prioriza os resultados mais que o método; em outras palavras, os fins justificam os meios. Desse modo, vale tudo para trazer o jovem para dentro da igreja, mesmo que para isso a igreja tenha que transformar-se no “mundo”. MC Céu, Cláudia Mel (pra quem não conhece a "Claudinha", aí vai o link: http://br.youtube.com/watch?v=a7OwcmkF1xk), sem falar nos já desgastados roqueiros gospel com suas tatuagens e piercings, nos grupos de forró com os tais corinhos de fogo, bandas de axé, etc. A palavra “gospel” se transformou em uma espécie de abracadabra, um adjetivo que quando acrescentado a um genero musical, é capaz de redimí-lo completamente. Falam mal do Rock: “Rock é do diabo, coisa de satanista” – quem nunca ouviu isso? Mas se o Rock é gospel, foi redimido: está apto para os ouvidos dos “santos”. Assim, o pai encontra a filha ouvindo um “pancadão” e diz: “Que musica sensual do capeta é essa, minha filha?!!!” e a filha responde: “É o MC Céu, é gospel papai”, e o pai sai aliviado: “ufaa, pensei que minha filhinha tinha desviado...” Que falta de bom senso!
..
Para aqueles que são adeptos da imitação, quero dizer-lhes que há bons exemplos para serem imitados. Paulo disse: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” (1Co 4.16); ele também nos exorta a que sejamos “imitadores de Deus, como filhos amados” (Ef 5.1). E aos compositores e músicos, deixo para meditação 1João 2.6, que diz que “aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou”. Estou convencido que Cristo, durante os anos de sua vida e ministério, jamais se associaria a tal disparate. Não há nenhuma chance de que Cristo, caso estivesse presente na terra em forma corpórea hoje, aparecesse em um video clip cantando “Céééééééééééú, Cééééééééééu, Céu, Céu, Céu, Céu, Céu, Céu, cécécécé, Céu, cécécécé, cécécécé cécécécé cécécécé cécécécé cécécécé, Céu, Céu, Céu!”, e menos ainda fazendo essa coreografia ridícula do “Satanás te da um créu”, com toda essa conotação sexual, simulando um coito sodomita.
.
Que Deus me livre de ser Gospel!